O presidente do Complexo do Pecém, Danilo Serpa, foi o convidado de honra do primeiro Almoço Empresarial da AJE Fortaleza, na nova gestão do coordenador-geral George Martins.

Ele destacou o alto desempenho que o Porto do Pecém alcançou nos últimos anos e as excelentes expectativas com relação ao Hub de Hidrogênio Verde (H2V) que está em implantação no Estado e deve quadruplicar a movimentação no terminal portuário.

Ele destacou que o Porto do Pecém bateu um recorde na movimentação de mercadorias no ano passado, atingindo um total de 22,4 milhões de toneladas e foi a primeira vez nos seus 20 anos de existência, que superou o movimento do Porto de Suape, que tem 44 anos. “O Pecém hoje está pronto, com dez berços de atracação, estamos recebendo novos equipamentos, novos guindastes, empilhadeiras, um investimento de mais de R$ 150 milhões. Estamos ampliando o nosso pátio de armazenagem para buscar e atrair novas cargas. Estamos sempre nos antecipando ao que o cliente, o investidor, quer”, disse.

Lembrou que o Porto de Roterdã, que é o maior da Europa e um dos maiores do mundo, é sócio do Complexo do Pecém. “Temos holandeses na nossa gestão, nos ajudando no dia a dia, e com uma participação societária de 30%. Mas vale lembrar que essa participação é no negócio. O Governo do Ceará não vendeu nenhum berço, nenhum equipamento, um metro de chão. O investimento feito por Roterdã foi porque acredita no nosso potencial de negócios”, afirmou.

Um ponto importante diz respeito ao Hub de Hidrogênio Verde, que o ex-governador Camilo Santana batizou de combustível do futuro. “Hoje há um clamor mundial pela substituição da matriz fóssil, que é o petróleo, que tem o dano ambiental, a poluição, por uma matriz energética limpa, e daí surgiu o Hidrogênio Verde, que é algo novo no mundo, onde as discussões se iniciaram de dois anos para cá”.

O Porto do Pecém, por meio da parceria com Roterdã, está inserido nessas discussões e o Ceará tem puxado esse protagonismo no Brasil. “A gente tem todo o processo para a produção de de H2V, que é uma matriz limpa. Temos sol e vento praticamente o ano todo, e em abundância; temos o porto; a ZPE, onde essas fábricas vão se instalar; já estamos com contratos de reservas de área, pois as melhores empresas do mundo estão negociando com o Governo do Ceará e o Complexo do Pecém, para realizar essa produção, que irá para o mundo”.

Disse que essas empresas vão ficar dentro da ZPE, livre de tributos, como se estivessem produzindo em qualquer país do mundo e exportando o Hidrogênio Verde pelo Porto do Pecém. “Isso deverá quadruplicar a movimentação do Porto do Pecém, colocando o Ceará e o Complexo do Pecém num cenário de competição mundial. Para se ter uma ideia, a Europa a partir de janeiro de 2030 tem de comprar 30 gigawatts de energia limpa e só consegue produzir cerca de 11 gigas, então, terá de comprar do mundo, e o Pecém está se destacando para essa produção. E qual é o maior porto da Europa, que vai receber esse Hidrogênio? É o Porto de Roterdã, que é o nosso sócio. Então, graças a Deus, tudo está se encaixando para o Ceará ter esse destaque global”, asseverou.

Ressaltou a importância da Zona de Processamento de Exportação (ZPE Ceará), que é a única free zone em plena operação no Brasil, e que oferece uma série de benefícios para as empresas que ali estão se instalando. “Estamos realmente preparados, nosso cenário é muito positivo para a atração de novos investimentos”, salientou Danilo.

Ele lembrou que somente a francesa Qair deverá movimentar dois navios por dia no Pecém, para transportar o H2V até o Porto de Roterdã. “Lembrando que o terminal holandês movimentou mais de 400 milhões de toneladas no ano de 2020, sendo o maior da Europa e que movimenta praticamente o dobro de mercadorias do que o Porto de Antuérpia. E já está em desenvolvimento o projeto para uma nova expansão no Pecém, para mais sete berços de atracação offshore, sendo dois para granéis sólidos, dois para combustíveis líquidos e três para o Hidrogênio Verde, com um investimento superior a R$ 2 bilhões”, revelou o presidente do Complexo do Pecém.

E que já são 20 memorandos de entendimento assinados com grandes players globais, mais de 1.100 hectares reservados para grandes grupos empresariais, que devem se instalar na região do Pecém nos próximos anos. “São empresas do porte de uma White Martins, que não estão brincando. Só a Fortescue Rescue já está com sua área reservada e quer ser a primeira do mundo a produzir o H2V em grande escala. Seu proprietário, inclusive, comprou dois fabricantes de componentes para a construção da sua usina aqui, na China, e adquiriu a equipe Williams de Fórmula 1, que na temporada de 2025 terá seus carros movidos a Hidrogênio Verde”, completou Danilo Serpa.

Opiniões

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do eará (FIEC) afirmou que o Hub de H2V no Complexo do Pecém deverá ter 20 empresas produzindo o Hidrogênio Verde aqui no Ceará e exportando para o mundo. “Temos empresas novas chegando, todas em áreas onshore, em terra, e o Hidrogênio Verde é uma das indústrias que estão sendo criadas onde você terá dez ou mais empresas, uma ao lado da outra, produzindo para entregar para o mundo. Elas não vão concorrer entre si, pois o mercado é muito grande e está aberto. Isso é muito importante para a gente, pois grandes players como Fortescue, White Martins, Qair e elas poderão estar uma ao lado da outra, não vendendo para o mercado local, mas sim global. E isso faz com que o Ceará seja diferente, e as empresas já virão para a ZPE, com incentivos, para produzir e vender para o exterior. E a parceria com Roterdã é campeã”, garantiu Ricardo Cavalcante.

Já o coordenador-geral da AJE destacou a parceria da FIEC e que um dos pilares de sua gestão será a Indústria 5.0, que tem seu berço no Japão e será trazida para o Ceará. “Foi importante trazer o Danilo Serpa para mostrar o que o Hidrogênio Verde é hoje e vai ser o amanhã do Ceará, trazendo grande desenvolvimento e novos investimentos para o nosso Estado e temos de chamar os nossos associados e a sociedade cearense para enxergar a grandiosidade dos investimentos e a mudança que acontecerá em nosso Estado, gerando grandes oportunidades para todo o setor produtivo”, afirmou George Martins, lembrando que promoverá uma Missão Internacional a Portugal, que é um dos berços da tecnologia do Hidrogênio Verde no mundo.

As mais lidas

Conheça um pouco mais da Cidade Cauype sem sair de casa com a nossa Visita Virtual

Visita Virtual
whatsapp button - fale conosco